Cultural 2 de março de 2015
O Mercado Público Central de Porto Alegre tem de tudo

PORTOALEGRE_MATERIA_Site_Mercado_Publico_EDITADA
Foto: Reprodução / Site Mercado Público

“No Mercado Público a gente come / ou leva alguma coisa para comer / vela de acender para qualquer santo / manto e guarda-chuva se chover / No Mercado Público tem bilhete / salada com sorvete na Banca 40 / pente, flor, tabaco, sal, corrente / é o espaço democrático no coração da gente”, assim canta Neto Fagundes, que fez uma homenagem especial ao querido Mercadão de Porto Alegre.

Patrimônio Histórico e Cultural, o Mercado Público Central tem de tudo: são 110 estabelecimentos entre açougues, peixarias, restaurantes macrobióticos, japonês, português, lancherias, pastelarias, padarias, bancas de verduras e frutas, livraria, barbearia e muito mais. Tem ração para animais, plantas, artesanato, flora e artigos para umbanda, os peixes mais frescos da cidade, queijos e vinhos, condimentos, erva-mate a granel, cuias e bombas para o chimarrão, tem charque, mel, chocolate. Ufa!

Inaugurado em 1869, em estilo neoclássico, o imenso prédio quadrado passou por várias reformas e hoje encanta pela modernidade. Foram muitos abalos ao longo da história: enchentes (em 1941), grandes incêndios (em 1912, 11976,1979 e o último em 2013) e até ameaças de demolição. Mas nada conseguiu derrubar do primeiro lugar no pódio do coração dos gaúchos.

São 150 mil pessoas circulando por ali diariamente. Na semana da Feira do Peixe e na que antecede o Natal, o número quase dobra: 250 mil. É muito amor pelo Mercado Público.

E até abril de 2015, os clientes que por lá passarem terão à disposição um piano para tocarem seu repertório livremente. A proposta faz parte do projeto Piano Livre, que instalou dez instrumentos customizados por artistas, em espaços públicos, pontos turísticos e comunidades carentes. Além de iguarias, o mercadão também tem cultura. Vai resistir? Passa lá!


MERCADO PÚBLICO CENTRAL DE PORTO ALEGRE

End.: O quadrilátero do Mercadão fica entre as Av. Júlio de Castilhos, Av. Borges de Medeiros, o Largo Glênio Peres e a Praça Pereira Parobé – Centro.

Funcionamento: De segunda à sexta, das 7h30 às 19h30 para as bancas, e até às 24h para os bares e restaurantes do segundo piso. Sábados das 7h30 às 18h30.